quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Projeto que prevê a diminuição da violência e criminalidade no seridó começa nesta quarta feira (30).Guarda Municipal esteve presente.


A Cáritas Brasileira, instituição ligada à CNBB, desenvolverá em 10 cidades da Região do Seridó1, o Projeto Mediação de Conflitos e Construção de Uma Cultura de Paz. Tendo como parceiros a Diocese de Caicó, a Secretaria de Segurança Pública do Estado, através da Ouvidoria de Polícia e as paróquias de cada uma das cidades, o projeto pretende se tornar uma experiência piloto no RN no campo da abordagem aos conflitos e à diminuição da violência e criminalidade.

A metodologia a ser adotada conta com a mobilização das instituições locais, em cada cidade, com capacitação de 25 (vinte e cinco) pessoas sobre o Tema da Mediação (250 ao todo). Também será produzida uma cartilha e realizado um diagnóstico a respeito da incidência da violência em cada cidade para servir de parâmetro referencial e norteador das ações a serem realizadas.

Atividades educativas e preventivas serão desenvolvidas envolvendo segmentos como juventude, professores, policiais e outros órgãos de segurança pública,pessoas das áreas detectadas como mais vulneráveis aos conflitos, escolhidas como prioridade de atuação. O projeto terá uma previsão de oito meses para execução, após o qual se espera que os municípios, através do poder público local e as comunidades, mantenham a continuidade das ações, tornando-o auto-sustentável.

As mobilizações contarão com a participação de representantes da educação, saúde e assistência social, representantes de todos os programas e serviços das secretarias do município, entidades da sociedade civil, ministério público, judiciário e policias, além das diversas pastorais e serviços da igreja católica.

A programação das reuniões será a seguinte:

Dia 30 de setembro, em Jardim do Seridó, às 08 horas, no auditório Mestre Galinho e em Acari, às 15 horas, no Clube Municipal.

Dia primeiro de outubro, em Parelhas, ás 09 horas, no auditório da Secretaria de Educação. E em Equador, às 15 horas, no Centro Pastoral Valdeci Donato.

Dia 02 de outubro, em Cruzeta, 08 horas, na Casa de Cultura Popular. Em Jucurutu, às 14 horas, no Centro Educacional São Miguel.

Dia 05 de outubro, em Jardim de Piranhas, às 14 horas, no auditório da Câmara Municipal.

fonte: blog do Robson Pires


DO BLOG:

REUNIÃO EM JARDIM DO SERIDÓ.

O Projeto Mediação de Conflitos e Construção de Uma Cultura de Paz reuniu todos os segmentos da sociedade Jardinense hoje, das 09:00 as 11:00
hrs. da manhã,Funcionários Públicos da área de Saúde,Educação,Assistência Social,Igrejas Católica e outras, além de Policias e Guardas Municipais , se fizeram presentes e saíram extremamente satisfeitos do auditório Mestre Galinho.Geraldo Wanderley,ouvidor geral de Policia do RN, discorreu sobre a temática do Projeto, mostrando suas nuances e explicando como funcionará tudo.Foram escolhidos 06 pessoas para receberem uma capacitação nos dias 30 e 31 de outubro de 2009, e onde após estarem prontas se tornarão multiplicadoras de conhecimentos.Foi um momento muito proveitoso ,onde se dialogou sobre os orgãos de segurança Pública e suas atuações , se chegando até o advento da CONSEG 2009,suas consequências e posteriores resultados.O Projeto tem tudo para dar certo, estando amplamente embasado pela realidade e o contexto atual,onde a sociedade se vê contaminada em todos os seus setores por esta chaga social que é a violência.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Guarda municipal de Natal evita estupro próximo à central de ônibus na Zona Norte


Guarda municipal de Natal evita estupro próximo à central de ônibus na Zona Norte

No chão de um terreno baldio, agarrando pelos pulsos uma adolescente de 16 anos. Essa foi a forma que o guarda municipal Jorge Télis diz ter flagrado o detento Josué Estelita de Souza, 37 anos, nas proximidades da central de
integração de ônibus da Zona Norte, no conjunto Soledade II, por volta das 5h do último domingo. Ainda segundo o guarda, o acusado já cumpre pena no regime semi-aberto por aliciamento de menores. A polícia agora investiga se há envolvimento dele com outros crimes semelhantes, inclusive os estupros ocorridos no Vale Dourado nos dias 12 e 20 deste mês.

Jorge Télis conta que na madrugada do domingo, populares viram quando a adolescente caminhava perto da central de integração o acusado teria agarrado a garota e passado a arrastá-la para o terreno baldio. "Esse mesmo pessoal foi quem acionou a gente na base comunitária". Segundo o guarda municipal, foi feito o contato com o comando operacional, para que também uma viatura fosse até o local.

"Chegamos no momento exato de evitar o crime". O guarda municipal afirma que Josué Estelita foi detido no momento em que segurava os braços da vítima, tentando abusar sexualmente da garota. Em seguida, foi levado para a delegacia de plantão da Zona Norte, onde, segundo Jorge Télis, foi levantada sua ficha criminal. O guarda alega que o acusado cumpre pena por aliciamento de menores em regime semi-aberto. "Ele presta serviços comunitários em uma delegacia da Zona Norte". Ainda de acordo com a polícia, há um mandado de prisão contra ele em aberto por estupro. Josué Estelita foi atuado em flagrante por tentativa de estupro. Em seguida, ele foi transferido para a 15ª DP em Ponta Negra para evitar que fosse hostilizado pelos demais presos na cela da plantão Zona Norte.

Por Paulo de Sousa, do DIÁRIO DE NATAL

sábado, 26 de setembro de 2009

Guarda Municipal de Canoas passará a fazer policiamento armado



Agentes utilizarão o taser, um equipamentos não-letal que dispara impulsos elétricos.


Canoas - A Guarda Civil Municipal de Canoas foi a primeira a ser incluída no treinamento da Força Nacional de Segurança Pública para uso, manuseio e manutenção da arma menos letal: taser - tecnologia semelhante a impulsos elétricos utilizada para controlar os movimentos do corpo. Os equipamentos já são utilizados pela Brigada Militar e auxiliarão no trabalho comunitário.

Conforme o secretário de Segurança Pública e Cidadania, Alberto Kopittke, a utilização do armamento será de caráter preventivo com foco em escolas, parques e praças da cidade. "A qualificação da Guarda e a utilização das armas não será para substituir em nenhum momento o trabalho das polícias, pelo contrário, será para integrar as forças."

De 22 a 24 deste mês, os guardas Rogério Rosa (coordenador da Guarda Civil), Ademar Sarmento (inspetor de serviço ostensivo) e Lisandro Carvalho (motociclista ostensivo) estiveram em Brasília para aprender a operar Taser.
O efetivo usado na ronda escolar, parques e praças será treinado pelos formados no curso da Força Nacional.

Segundo Kopittke, 15 novos profissionais aprovados em concurso público integrarão o grupo armado canoense que receberá no dia 9 de outubro, 20 exemplares da Taser - no lançamento do Território de Paz Guajuviras. Os equipamentos são provenientes do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania.

fonte: Diário de Canoas.

Guarda Municipal de Várzea Grande prende estuprador de menina


Guarda Municipal de Várzea Grande prende estuprador de menina
Redação 24 Horas News


Mais um estuprador é tirado de circulação. A Guarda Municipal de Várzea Grande prendeu na manhã deste sábado David Batista da Silva. Ele estrupou uma menina na Cidade Industrial.

O tarado foi conduzido o Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc) do Parque do Lago, onde este momento está sendo autuado em flagrante e em seguida deverá ser recambiado para o presídio estadual que fica na cidade.

A menina foi encaminhada para o IML para exames de corpo e delito.


|

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

CRIMINOSOS TROCAM TIROS COM GUARDAS CIVIS NA REGIAO DA CRACOLANDIA/SP


CRIMINOSOS TROCAM TIROS COM GUARDAS CIVIS NA REGIAO DA CRACOLANDIA/SP Um suspeito foi preso e o outro foi baleado na madrugada desta terça. Caso ocorreu após homens terem atirado contra comerciante em SP.

Um homem foi preso e outro baleado depois que os dois trocaram tiros com guardas-civis metropolitanos na madrugada desta terça-feira (22) na região da Cracolândia, no Centro de São Paulo. O tiroteio aconteceu depois que um comerciante foi baleado pelos dois suspeitos. Segundo a Guarda Civil Metropolitana (GCM), os dois homens invadiram uma padaria e atiraram contra o dono do local. A GCM ainda não sabe se foi uma tentativa de assalto ao comércio ou de assassinato contra o comerciante.

Em seguida, os suspeitos fugiram em direção ao comando da GCM, e atiraram contra dois guardas que estavam no local. Os guardas revidaram e seguiram os homens. Um foi baleado e o outro foi preso. O suspeito ferido foi encaminhado para a Santa Casa. Já o comerciante foi socorrido pela Polícia Militar para o Hospital Glória. A GCM não soube informar o estado de saúde dos dois. O caso foi encaminhado para o 3º Distrito Policial, nos Campos Elíseos.

Fonte: http://g1.globo.com - www.guardasmunicipais.com.br

Guarda municipal é assassinado dentro de posto de saúde em Curitiba


Guarda municipal é assassinado dentro de posto de saúde em Curitiba


Portal RPC

CURITIBA - Um guarda municipal que fazia a segurança do Centro Municipal de Urgências Médicas da Cidade Industrial de Curitiba (CIC) foi assassinado na noite desta quinta-feira diante de aproximadamente 45 pessoas que estavam no local. Baleado com um tiro na cabeça e dois no peito, Aparecido José de Souza, de 57 anos, ainda chegou a ser socorrido no próprio posto de saúde, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com a Polícia Militar (PM), o crime ocorreu por volta das 21h30m. Um homem entrou na unidade de saúde, caminhou em direção ao guarda municipal, que estava na recepção, e após atirar três vezes contra a vítima, fugiu sem levar nada. De acordo com a assessoria de imprensa da secretaria municipal da defesa social, médicos ainda tentaram reanimá-lo, mas ele entrou em óbito pouco antes das 22h30m.

Ainda não há suspeitas sobre os motivos ou a autoria do crime. Souza era guarda havia 15 anos, era casado e deixa quatro filhos. Segundo a prefeitura, a segurança das instituições públicas municipais é feita por escala, de modo que ele trabalharia apenas nesta semana no Centro Municipal de Urgências Médicas da CIC, que funciona 24 horas por dia.

Segundo a secretaria municipal de saúde, o atendimento no posto teve de ser suspenso entre 21h30m de quinta e 7 horas desta sexta-feira para o trabalho de perícia da Polícia Científica. Os pacientes que precisaram de atendimento médico neste período e estavam ou procuraram o local foram encaminhados para o Hospital da Cruz Vermelha.

Fonte: O Globo.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Guarda-civil conta como salvou mulher em explosão no ABC



Guarda-civil conta como salvou mulher em explosão no ABC

Homem estava de folga quando ocorreu o acidente.
Quando chegou ao local, ainda havia explosões.

Do G1, com informações do SPTV



Um guarda-civil de Santo André, no ABC, que estava de folga nesta quinta-feira (24) foi um dos primeiros a ajudar as vítimas da explosão na loja de fogos de artifício que deixou mortos e 12 feridos na cidade. Ele ajudou a resgatar uma mulher que estava em uma das casas atingidas no acidente.


O guarda Gilmar Scaramel mora a poucos metros da loja. Segundo conta, quando chegou à área atingida, ainda havia explosões. “Uma fumaça preta, de queimado, muito grande; teto de gesso caindo; os vidros estourando; uma mulher gritando: ‘socorro, socorro’”, é o que conta ter visto.

Scaramel subiu em uma casa de três andares para chegar ao local de onde viam os gritos. “Adentrei, coloquei ela debaixo do meu casaco. Entraram mais duas ou três pessoas para me auxiliar", conta, explicando o salvamento.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Guarda Municipal ou Guarda Civil Municipal.


Guarda Civil Municipal



Qual é a atribuição de uma Guarda Civil Municipal? Qual é o treinamento que seus integrantes possuem? Qual é a escolaridade exigida para o ingresso neste cargo? A Guarda Civil Municipal e a Polícia Militar são iguais? Quais são as leis que autorizam a criação das Guardas Civis Municipais?

As respostas destas perguntas não são dominadas por grande parte da população. Embora seja possível afirmar que o desconhecimento também atinge grande parte da mídia e de integrantes das instituições de Segurança Pública.

Como acredito no bom debate e na propagação da informação correta resolvi lançar esboços destas respostas, pelo menos um norte a ser seguido. São de extrema ignorância certos comentários feitos por pessoas que possuem falsa autoridade no assunto ou simplesmente um microfone e um horário na televisão.

A Guarda Civil Municipal é uma instituição de Segurança Pública, pois é disciplinada na Constituição Federal no capítulo da Segurança Pública, artigo 144, parágrafo 8°. Sua criação não é um dever, mas uma faculdade do Poder Executivo Municipal. Traduzindo, se um Prefeito quiser pode criá-la, mas não é obrigado.

Segundo a maior das leis, a Guarda Civil Municipal quando existente deve cuidar de bens, serviços e instalações.

Dentre os bens incluem o patrimônio do Município, tanto um veículo que serve de ambulância como um prédio de uma escola municipal. Mas não é só patrimônio público. Caso fosse deveríamos concluir que o Guarda Municipal deve proteger a ambulância, mas não o seu motorista. Logo, se um ladrão viesse roubar este veículo a “obrigação” seria proteger o bem público municipal e não a vida deste motorista. O Guarda Municipal nesse caso não teria atribuição, portanto deveria ligar para a Polícia Militar.

O maior bem do Município são os seus cidadãos. A proteção da vida e da integridade do munícipe é o grande interesse, pois seria uma incoerência proteger “o menor bem” que é a propriedade e virar as costas “para a proteção da vida”. Caso pensássemos ao contrário estaríamos desprotegendo o munícipe e prestigiando o ladrão, o assassino, o estuprador e outros agressores da sociedade, que tanto perturbam a paz social.

A Guarda Civil Municipal também deve cuidar das instalações públicas, tais como os computadores e as redes de energia elétrica. Por fim deve olhar igualmente pelos serviços que são prestados no Município, ainda que feitos por permissionárias ou concessionárias, como é o caso do serviço de transporte coletivo.

A disciplina e a regulamentação do tema Guarda Civil Municipal interessa tanto ao Governo Federal, que o Ministério da Justiça publicou uma diretriz contendo o currículo de matérias exigidas no curso de formação de novos agentes e para a atualização dos antigos membros. Os concursos públicos estão cada vez mais concorridos. No mínimo é exigido ensino médio completo. O salário está longe do ideal, mas não está entre os menores.

Existe uma grande confusão por parte da comunidade ao misturar Guarda Civil Municipal com Polícia Militar. As duas instituições trabalham na área de Segurança Pública, mas possuem características diferentes. A Polícia é estadual, possui uma hierarquia bastante acentuada (são mais de dez postos entre o soldado e o coronel). É militar e quase sempre seus integrantes trabalham em lugares diferentes de onde nasceram. A Guarda é municipal, como o próprio nome sugere, possui uma hierarquia baseada na educação e a grande maioria dos seus integrantes possui um vínculo afetivo com a cidade, pois ou nasceram aqui ou residem há muito tempo.

No campo das atribuições também é diferente. A Polícia Militar é órgão de criação obrigatória. Atua na área de Segurança Pública, mas não possui exclusividade no patrulhamento ostensivo (andar pela cidade com viaturas e homens fardados). Possui armamento específico e de uso restrito aos seus integrantes. É uma instituição imensa com trabalhos interessantíssimos quer seja na área no embate com criminosos, quer seja na área social.

Tanto a Guarda Civil Municipal como a Polícia Militar em Santa bárbara d’Oeste cuidam da fiscalização e da orientação dos condutores e pedestre no trânsito.

Às vezes ouvimos quando em atendimento de ocorrências que não podemos fazer tal fiscalização, tomar certas atitudes, nem combater o crime. Penso que estes comentários são incoerentes e desprovidos de inteligência. Todo cidadão de bem deve agradecer a fiscalização. É sinal de que a prevenção está sendo feita. As Guardas Civis Municipais atendem quantas ocorrências por dia em todo Estado de São Paulo? As que ocorrem tristes desfechos são mínimas, mas as conseqüências catastróficas.

Estas ocorrências servem de combustível para noticiários apelativos. O pior é que as pessoas que são chamadas para tecerem comentários não são integrantes da Guarda Civil Municipal. Será que este não seria o mais indicado para comentar sobre suas atribuições e sobre os erros cometidos por sua corporação?

É preciso entender que o salário do Guarda Civil Municipal vai continuar o mesmo caso ele tire um gato de cima da árvore ou combata o tráfico ilegal de drogas. Quem perde é a comunidade. Quantos agressores da sociedade não foram presos pelas Guardas Civis Municipais neste ano que passou?

É necessário melhorar as Guardas Civis Municipais, não sucateá-las. Na parte da estrutura se faz imperioso comprar armas não letais e letais, viaturas, fardamentos. Na parte de material humano incentivar o estudo (já é obrigatório cursos de atualização profissional), o refinamento do tratamento com o munícipe, o desenvolvimento de habilidades e uma oportunidade de crescimento profissional com o passar dos anos.

Quem acha que a Guarda Civil Municipal não trabalha corretamente ou que extrapola suas atribuições legais deve experimentar buscar referências junto daqueles que foram ajudados por esta instituição de Segurança Pública municipal.

Cumpre frisar que existem inúmeros projetos de lei que visam regulamentar a situação jurídica das Guardas Civis Municipais. Todos fora da pauta de votação. Por quê? Há por parte dos legisladores desinteresse? Conflitos de interesses? Ou simplesmente desprezo pela questão?

O telefone de atendimento das Guardas Civis nos Municípios é quase sempre 153. Mas em poucas cidades ele é gratuito, quase sempre ele é tarifado. A justificativa é de que a Guarda Civil Municipal é um órgão de utilidade pública e não de emergência. Que tal uma moção de apelo dos vereadores municipais sobre esse assunto para os órgãos competentes?

A discussão é interessante e deve ser fomentada. Todo cidadão tem o direito de saber as leis que regem as instituições de Segurança Pública. A Guarda Civil Municipal luta por um espaço que não está preenchido por ineficiência do Estado. Cabe a comunidade encampar a luta ou se posicionar de forma contrária.

A truculência, os desmandos e toda ordem de violência empregada em nome da ordem pública, sem justificativa plausível, dever ser repelida. A Guarda Civil Municipal não compactua com violações dos direitos e garantias fundamentais.

Enfim, a Guarda Civil Municipal surgiu para ajudar os cidadãos. Tem um estilo próprio. Suas atividades são feitas na intenção de melhorar o convívio dos cidadãos em sociedade. Tudo o que for dito fora disso não deve ser levado a sério.

Por GCM Eliel Miranda de Santa Bárbara D'Oeste SP
http://elielmi.blogspot.com/2009/09/guarda-civil-municipal.html

Guarda-civil baleada em ataque em SP pode ficar paraplégico.



Guarda-civil baleada em ataque em SP pode ficar paraplégico.

Ela e dois colegas foram vítimas de um ataque à base em que trabalhavam.
Caso aconteceu na noite de sábado (19) em Sorocaba, no interior.

Do G1, com informações do Globo Notícia


Uma agente da Guarda Civil de Sorocaba, a 99 quilômetros de São Paulo, pode ficar paraplégica após ser vítima de um ataque feito à base onde ela trabalhava na noite de sábado (19).



A guarda-civil de 38 anos levou um tiro nas costas. Os médicos devem avaliar sua situação ainda na manhã desta segunda-feira (21) para saber se haverá sequelas.


Quatro criminosos armados com pistolas abordaram os guardas dentro da base por volta das 23h30. Um colega das vítimas que estava do lado de fora chamou a polícia.


saiba mais

*
Guardas são baleados em base no interior de São Paulo

Os três que ficaram foram agredidos com coronhadas e baleados. Depois de roubar três armas e um colete à prova de balas os criminosos fugiram. Os três guardas feridos continuam internados e não correm risco de morrer. A polícia vai montar uma força-tarefa para investigar o ataque.

Base da PM



Nesta terça-feira, por volta das 2h da madrugada, criminosos jogaram bomba de efeito moral em uma base da Polícia Militar em Parelheiros, na zona sul da cidade.



Dois homens que estavam em uma moto passaram em frente de uma base em Parelheiros e jogaram uma bomba dentro da base.



O artefato não feriu ninguém quando explodiu. Segundo a PM, ninguém foi preso.

domingo, 20 de setembro de 2009

Guarda civil e ladrão são baleados em tentativa de assalto em Santana de Parnaíba


Guarda civil e ladrão são baleados em tentativa de assalto em Santana de Parnaíba

SÃO PAULO - Uma tentativa de assalto foi frustradas pela guarda civil no final da noite de domingo em Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo. Homens armados tentaram assaltar um condomínio de luxo por volta das 23h, no bairro Aldeia da Serra. Agentes da guarda civil foram acionados, houve perseguição e troca de tiros. Um guarda civil e um assaltante foram baleados.

FONTE: O GLOBO

Guarda civil de Ribeirão Preto leva dois tiros no peito.


Guarda civil leva dois tiros no peito
Ele foi baleado enquanto conversava com um frentista



O guarda civil municipal Fábio Donizete da Cunha, de 37 anos, foi baleado com dois tiros no peito, quando estava em um posto de combustíveis, no Jardim Palmeiras, em Sertãozinho, ontem pela manhã.



Segundo Rogério dos Santos Machado, inspetor da guarda, ele foi abordado por um homem armado quando conversava com um frentista do posto. "O homem chegou, não falou nada e deu dois tiros", afirmou o inspetor.


fonte: A Cidade.

DO BLOG:Nesse momento não aparece ninguém para defender o direito do GM de andar armado,não ,ele tem de ser o Cordeiro Imolado,sem a imprensa , ou nenhum outro orgão de segurança pública com ciume, para dizer nada.até quando perecerão Agentes de segurança Pública em serviço e fora dele por não poderem portar uma arma.Os coronéis dão entrevistas , os secretários de segurança urbana dão entrevista, todos criticando a ação das GMs quando morre alguém numa ação que ás vezes nem tem nada a ver com o trabalho,mas todos calam quando quem é abatido é o Guarda Municipal,ou expandindo ainda mais, com qualquer policial, de qualquer esfera.Não sabem que as Guardas Municipais são os Orgãos de Segurança Pública com menor taxa de letalidade do Brasil.ESTÃO CEGOS PELA PROPAGANDA E PELO CIUME CORPORATIVISTA.

E o "Poder de Polícia"?


E o "Poder de Polícia"?

Acreditamos que essa terminologia nuca havia sido utilizada, ou nunca havia criado tanta polêmica, até o momento em que as Guardas Municipais passaram a atuar na Segurança Pública.

Ninguem se preocupava com isso.

Até que, a partir da CF/88 advogados de porta de cadeia e instituições temerosas pela concorrência, sem se preocupar com o bem social e com a melhora do sistema, passaram a fazer interpretações monstruosas a respeito do tema.

Pois bem. Não vamos ficar aqui discutindo teses que já foram por demais esgotadas em sites e blogs por nobres defensores da nossa causa.

Vamos apenas convencionar duas coisas simples.

A primeira é a forma de como trataremos pessoas curiosas que sempre perguntam: Você tem"Poder de Polícia"?

A nossa resposta deveser com outra pergunta: O que é "poder de polícia"?

A partir dai teremos duas vertentes para discussão. Se o curioso souber definr o que é "poder de polícia" ele mesmo pode avaliar se temos ou não (e olha que renomados juristas apanham quando tentam definir esse assunto).

Se o curioso não souber a definição, responda com um simples "SIM", pois ele não terá argumentos para abrir uma discussão (e talves esse seja o curioso mais sincero e o menos maldoso a fazer essa pergunta).

Se o curioso não se der por satisfeito, diga-lhe que a melhor definição é a definição LEGAL, ou seja, a que está no Código Tributário, artigo 78.


"Considera-se poder de polícia atividade da administração pública que, limitando ou disciplinando direito, interesse ou liberdade, regula a prática de ato ou abstenção de fato, em razão de interesse público concernente à segurança, à higiene, à ordem, aos costumes, à disciplina da produção e do mercado, ao exercício de atividades econômicas dependentes de concessão ou autorização do Poder Público, à tranqüilidade pública ou ao respeito à propriedade e aos direitos individuais ou coletivos".

A partir dai, peça ao curioso que avalie com sua própria capacidade se as Guardas Municipais atuam de acordo que a definição do Código Tributário.

Segunda forma: A diferênça não está em ter ou não Poder de Polícia, mas sim, em quais são as atribuições de cada órgão público que possuem poder de polícia.

Já ouvi observações de ditos juristas, quando invoquei o artigo 78 do Código Tributário, que as Guardas Municipais, com base nesse entendimento, têm "apenas" poder de polícia administrativo.

CONCORDO

Há o Poder de Polícia Administrativo e o Poder de Polícia Judiciário.


Mas, além da Polícia Civil e Federal, que são as Polícias Judiciárias do Estado e União respectivamente, qual o outro poder de polícia que sobra para as demais instituições? Creio que é o Poder de Polícia Administrativo. Guardas Municipais, PM, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Ferroviária, Agentes de Fiscalização de Trânsito, CET, Agentes Vistores, Agentes de Vigilância Sanitária etc, possuem "Poder de Polícia Administrativa" para o exercício de suas atribuições, na qualidade de agentes representantes do Poder Público.

Sendo assim, o que delimita o serviço que cada um deles pode realizar?

São as suas atribuições. Cada qual tem suas atribuições definidas em lei.

Por exemplo: A Polícia Rodoviária Federal tem Poder de Polícia? R: SIM. Pode atuar nos mesmos moldes da Polícia Militar? R: NÃO. Poderia a PRF fazer um bloqueio no centro da Capital Paulista? R: Não, porque estaria extrapolando suas atribuições (usurpando a função de outrem). Mas, neste mesmo exemplo, se a PRF estivesse transitando pelo centro da Capital Paulista e se deparasse com um flagrante delito, poderia atuar em defesa da sociedade? SIM, porque em flagrante delito todos podem agir.

Outro exemplo: A Polícia Ferroviária Federal tem Poder de Polícia? R: SIM. Pode atuar nos mesmos moldes da Polícia Militar? R: NÃO. Poderia a Polícia Ferroviária fazer um bloqueio no centro da Capital Paulista? R: Não, porque estaria extrapolando suas atribuições (usurpando a função de outrem). Mas, neste mesmo exemplo, se a Polícia Ferroviária estivesse transitando pelo centro da Capital Paulista e se deparasse com um flagrante delito, poderia atuar em defesa da sociedade? SIM, porque em flagrante delito todos podem agir.

O mesmo se aplica em relação às Guardas Municipais. Tem "Poder de Polícia"? R: SIM. Pode exercer as atribuição da PM? R: NÃO. Mas, se estiver transitando pelo centro da Capital Paulista e se deparar com um flagrante delito, pode atuar em defesa da sociedade? SIM, porque em flagrante delito todos podem agir.

PORTANTO

Não devemos pedir Poder de Polícia através de aprovações de Projetos Emenda Constitucional (PEC).


Já temos poder de polícia para o exercício de nossas atribuições. Quando protegemos bens, serviços e instalações, além de outras atribuições que nossas prefeituras nos passam, estamos agindo com PODER DE POLÍCIA pata tal. A proteção de bens, serviços e instalações é tratada pela CF/88 como atividade de promoção de Segurança Pública, visto que é neste capítulo que estamos inseridos.

Devemos pedir sim regulamentação ou aumento de nossas atribuições.

Apesar de que, particularmente falando, já fazemos bastante pela sociedade, e é caso de avaliar se vale a pena querer se igualar a outras intituições que fazem parte de um sitema ineficiente de segurança pública.

Seria o caso de querermos fazer mais do mesmo?
Postado por Segurança Urbana às 06:49 0 comentários

sábado, 19 de setembro de 2009

Prefeitura de Campo Grande promove curso de segurança para guardas municipais


Prefeitura promove curso de segurança para guardas municipais
Crédito: David Majella
Com o objetivo de contribuir ao combate à violência e à criminalidade, a Prefeitura de Campo Grande firmou um convênio com o Ministério da Justiça para promover um curso de prevenção à violência dirigido aos guardas municipais. As aulas serão ministradas no período de setembro a dezembro de 2009, na Escola de Governo.

Segundo o coordenador do projeto, Nelson Francisco Barbosa, embora a principal competência da Guarda Municipal de Campo Grande é o de promover a vigilância nos prédios públicos, é preciso entender que a segurança pública deve ser vista como um conjunto amplo de ações e, neste contexto, é fundamental que os guardas atuem na prevenção da violência. "Com esta formação, os servidores que compõem a Guarda Municipal ganharão confiança da população", frisou.

Para o titular da Semad (Secretaria Municipal de Administração), Jorge Oliveira Martins, o foco principal deste curso, é a ação contra a violência. "Os guardas municipais serão devidamente capacitados, com temas relacionados à violência e da criminalidade que hoje acontecem em Campo Grande", informou o secretário, acrescentando que a administração municipal está investindo na capacitação dos servidores com outros cursos.

Após a conclusão do curso, os guardas municipais poderão interagir com a comunidade por meio de temas relacionados à segurança e, principalmente, com a conscientização sobre os efeitos nocivos das drogas para a sociedade de um modo geral. Também poderão utilizar outros recursos como concursos de frases e desenhos, distribuição de fordes educativos para as comunidades e outras técnicas que servirão para combater a violência.

O objetivo geral do curso é aproximar a Guarda Municipal da população de Campo Grande, por meio de palestras realizadas em centros comunitários, escolas municipais, Cras, Projeto Escola Viva, associações de moradores e outras instituições. Proporcionar à comunidade espaços de reflexão e discussão, buscando contribuir na prevenção da violência.

As principais metas são: realizar aproximadamente 20 palestras mensais; atingir 70% dos participantes do Projovem e do Projeto Escola Aberta; atingir o maior número possível de membros da comunidade escolar da Reme (Rede Municipal de Ensino).

Para a professora de oratória e instrutora, Ildilene Baptista, o curso valoriza o profissional da guarda para combater e instruir o cidadão campo-grandense para evitar e combater a criminalidade. "Eles farão a segurança do patrimônio público e também serão formadores de opinião no combate à violência", informou.

O guarda municipal Gilson Alves foi um dos escolhidos para o curso e gostou da oportunidade de aumentar seus conhecimentos sobre segurança "Logo vamos estar nas escolas preparando os alunos no combate à violência", previu.

Para o guarda municipal Gileno Coelho de Araújo, quem ganha com o curso é a sociedade, uma vez que a segurança é uma preocupação de todos. "O nível do curso é muito bom e tenho certeza que vamos sair daqui bem preparados para ajudar ainda mais no combate à violência", enfatizou.

Fonte: PMCG

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

GUARDA MUNICIPAL ESTEVE PRESENTE NA CAMARA MUNICIPAL NUMA AÇÃO PREVENTIVA.


A Guarda Municipal de Jardim do Seridó esteve presente, e sempre estará no momento em que houver necessidade.Ontem á noite ,16/09/2009,em sessão da câmara municipal de Jardim do Seridó,ao serem discutidos temas polémicos sobre assuntos administrativos locais,e face a grande quantidade de populares que teimavam em quererem tumultuar o expediente legislativo , foi deslocado para o local dois Guardas Municipais , que em conjunto com 04 PMs realizaram a segurança da egrégia casa de leis.A Direção da GMJS achou de relevante importância contribuir na integridade dos que fazem a Câmara Municipal, como também dos que assistiam a sessão e muito mais ainda de todo o Património Público que ali está.Apesar de muito barulho , os Agentes Municipais e os Policiais estaduais conseguiram realizar um trabalho preventivo que teve resultado.Lamentamos pelo ocorrido, e pela necessidade de ter que deslocar GMs e PMs para a casa do povo que num episódio marcante ,estava quase que sob uma ameaça iminente de vândalos.

GUARDAS MUNICIPAIS DO NORDESTE.


SOBRAL- CE

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

projeto prevê mudança na guarda municipal do RJ


projeto prevê mudança na guarda municipal do RJ

Na tarde desta terça-feira, guardas municipais aguardavam a entrada na Câmara dos Vereadores do Rio

José Carlos Pereira de Carvalho/vc repórter.

A primeira discussão do projeto de lei sobre as mudanças no regime de contratação dos guardas municipais do Rio de Janeiro (RJ) foi aprovada por unanimidade. A sessão ordinária aconteceu na tarde desta terça-feira, na Câmara dos Vereadores do Rio.

O carioca José Carlos Pereira de Carvalho passou em frente à Câmara por volta das 15h e notou que muitos guardas aguardavam no local. "Eles esperavam a autorização para entrarem no plenário", diz.

Caso haja a aprovação em uma segunda discussão, os guardas deixarão de ser celetistas para se tornarem estatuários, tornando-se assim funcionários públicos. Além da estabilidade no emprego, a categoria também terá benefícios previdenciários.

No dia 11 de março deste ano, em cerimônia de entrega simbólica do cartão Bolsa Formação, programa de valorização profissional no qual inicialmente 786 guardas municipais foram contemplados, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) declarou que o novo projeto de lei visa dar aos guardas a legalidade na aplicação de suas ações.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Guarda e suspeito são baleados em troca de tiros em SP



Guarda e suspeito são baleados em troca de tiros em SP

Agencia Estado

SÃO PAULO - Um suspeito e um guarda municipal de Santana do Parnaíba foram baleados durante uma troca de tiros na noite de ontem, em Aldeia da Serra, na Grande São Paulo. A guarda municipal recebeu o chamado de uma testemunha que percebeu que quatro homens se preparavam para invadir um condomínio de luxo na região. Eles chegaram ao local antes que os criminosos conseguissem invadir e houve troca de tiros. Três criminosos conseguiram fugir e ainda não foram localizados pela polícia.


Um dos suspeitos foi baleado na cabeça e no braço e levado ao Hospital de Santana do Parnaíba. Com ele, foi apreendida uma pistola calibre 380. Um guarda foi atingido de raspão na cabeça e encaminhado ao pronto-socorro do serviço de Assistência Médica de Barueri (Sameb). O caso foi registrado na Delegacia de Santana do Parnaíba.

Ex-PM mata a ex-mulher e se entrega após ameaça de suicídio no interior de SP .

Ex-PM mata a ex-mulher e se entrega após ameaça de suicídio no interior de SP

Plantão | Publicada em 15/09/2009 às 09h30m
EPTV


SÃO PAULO - Um ex-policial militar matou a ex-mulher com quatro tiros nesta segunda-feira, em Cosmópolis, a 130 km de São Paulo. Carlos Augusto Fernandes, que também já comandou a Guarda Municipal da cidade, ficou mais de de oito horas na delegacia ameaçando se suicidar.

Segundo a polícia, Fernandes não aceitava a separação ocorrida em abril deste ano. O crime aconteceu no trabalho da ex-mulher. A vítima chegou a ser levada para o Hospital Santa Gertrudes, mas não resistiu aos ferimentos.

Após o crime, o ex-PM foi até a delegacia se entregar, mas ele teve um surto nervoso e resolveu se suicidar. Armado, Fernandes ficou por mais de oito horas ameaçando se matar. Durante toda a noite policiais negociaram com o ex-PM. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate)também foi acionado para a negociação.

O caso só foi encerrado quando um psiquatra e um amigo do ex-PM eforam chamados. Ele se rendeu por volta da meia-noite.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Projeto do governo reforça atribuições da Guarda Municipal


Projeto do governo reforça atribuições da Guarda Municipal
13 de setembro de 2009 • 21h52 • atualizado às 22h34



Resultado da 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública, o pacote de medidas para reforçar o combate à criminalidade que o governo vai mandar para o Congresso tem como carro-chefe um projeto de lei definindo um novo papel para as guardas municipais. Restrito hoje a cerca de 20% dos 5.585 municípios, efetivo total em torno de 70 mil homens - 20% deles concentrados no Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Fortaleza e Curitiba - e com atribuições que vão da vigilância de prédios a auxilio à polícia na segurança ostensiva, as guardas vão ter um pouco do poder que hoje está nas mãos da Polícia Militar e da Polícia Civil.

"Não é necessário modificar a Constituição para fazer as mudanças. Vamos regulamentar o parágrafo 8º do artigo 144, redefinindo as funções das guardas e explicando na parte penal o que significa tomar conta da segurança do município. Elas também poderão executar ações de segurança mediante convênios com as polícias estaduais", diz o secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça, Pedro Abramovay, responsável pela engenharia jurídica do projeto.

Abramovay garante que não haverá conflito de competências e exemplifica: a atuação das guardas na segurança pode ser semelhante ao que historicamente fizeram as polícias estaduais no combate ao tráfico de drogas. A repressão era uma atribuição exclusiva da Polícia Federal, mas foi repassada aos Estados através de convênios. Atualmente, seria impossível dissociar as apreensões de drogas das atribuições das PMs e da Polícia Civil.

O governo sabe, no entanto, que vai mexer em interesses corporativos das instituições tradicionais (Polícia Militar e Polícia Civil), das empresas privadas de segurança - que sobrevivem e crescem cada vez mais com a paranóia da insegurança, gerada pelos altos índices de violência - e, especialmente, com a falta de preparo das guardas municipais. Os distúrbios ocorridos há duas semanas na favela Heliópolis, em São Paulo, em protesto contra a morte da estudante Ana Cristina de Macedo, 17 anos, atingida a tiros supostamente por vigilantes da Guarda Municipal de São Caetano do Sul, no ABC paulista, conspiraram contra a proposta do governo no auge do debate. A falta de preparo dos guardas que perseguiam suspeitos e teriam disparado acidentalmente contra a jovem foi uma ducha de água fria na proposta, mas alertou o governo para a falta de treinamento adequado.

"A capacitação deve acompanhar as mudanças", diz Abramovay, que aposta na expansão do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) como uma espécie de estágio preparativo das mudanças radicais que o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, pretende implantar antes do encerramento de seu governo. Temendo desgaste político, Lula demorou sete anos para tratar da segurança pública - um tema normalmente discutido emocionalmente e conectado à agenda eleitoral.

A municipalização da segurança pública, com um novo papel para as guardas, forçará o governo a adotar uma mudança ainda mais radical: retirar das Forças Armadas o controle sobre as PMs e os Bombeiros, um resquício do período autoritário garantido pela Constituição de 1988 que trata as corporações subordinadas aos governos estaduais como "forças auxiliares e reservas" do Exército. O fim desse vínculo, segundo Abramovay, foi uma das fortes conclusões da conferência que debateu a segurança pública. Por outro lado, no contexto do pacote de leis para reestruturar as Forças Armadas - outras medidas que devem ser discutidas nos próximos dias pelo Congresso -, o governo pretende dar ao Exército, Marinha e Aeronáutica poder de polícia para lidar com problemas de segurança interna, como nas operações em morros do Rio.

O pacote da segurança deve incluir ainda a proposta de autonomia para a perícia forense e a criação de ouvidorias externas para Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Força Nacional de Segurança, setores que funcionarão sem vínculo com as corporações ou com as corregedorias já existentes. A criação das ouvidorias vai depender também do Ministério do Planejamento porque será preciso criar cargos - são mais de 20 para cada corporação - e, consequentemente, despesas. Mas corrige uma contradição do próprio governo federal, que exige ouvidorias nas corporações estaduais e municipais que recebem verbas da União para segurança. É também uma forma de estimular o controle externo das corporações e garantir a aplicação dos direitos humanos na segurança.

A mais forte modificação na atuação das polícias civil e militar, o chamado ciclo completo de ocorrências - o que equivale a dizer que ao atender uma denúncia de furto ou roubo a PM cumpriria todas as etapas da investigação e só encerraria a atuação ao encaminhar o caso à Justiça - pode não entrar no pacote que está sendo enviado ao Congresso. É que há divergências dentro do próprio Ministério de Justiça.

"Essa proposta agilizaria o atendimento à população. Ninguém precisaria mais chamar a PM e depois perder horas numa delegacia da Polícia Civil. E representa 70% das ocorrências policiais", defende o secretário nacional de Segurança, Ricardo Balestreri.

Fonte:Terra.

sábado, 12 de setembro de 2009

Agentes da Guarda Municipal de Vitória querem novos coletes para voltar às ruas


Agentes da Guarda Municipal de Vitória querem novos coletes para voltar às ruas

Fonte: gazeta online)

agente comunitária da Guarda Civil de Vitória, Macllene Rodrigues
A agente comunitária da Guarda Civil de Vitória, Macllene Rodrigues está aquartelada
Os agentes comunitários da Guarda Civil Municipal de Vitória continuam aquartelados na manhã desta sexta-feira (11). Eles alegam que só voltam às ruas depois que os coletes à prova de balas, que estão com prazo de validade vencido desde quarta-feira (09), sejam substituídos. Pelo menos 19 dos 470 agentes em atividade estão na sede da guarda, que fica localizada na Ilha de Santa Maria, na Capital.

Os agentes cumprem a carga horária dentro da unidade e deixam de fazer o patrulhamento nas vias da capital. O movimento teve início nesta quinta feira (10). A agente comunitária Macllene Rodrigues, de 21 anos, disse que ir às ruas com colete vencido é correr um risco desnecessário.

"É um equipamento básico e fundamental para o nosso serviço, pois visa a segurança dos agentes. Até agora não recebemos uma resposta sobre esses coletes novos. Estamos cumprindo o horário normal, mas os agentes estão na base", disse.

Participe do fórum: Você está sentindo falta dos guardas na rua?

O secretário de Segurança Urbana de Vitória, João Sana, informou que 200 novos coletes balísticos serão entregues até a próxima quarta-feira (16), no entanto, desconversou sobre os riscos que os agentes correm ao ir às ruas com o colete vencido.

"Eu não posso afirmar tecnicamente que eles corram risco ou que deixam de correr. Acho razoável que as pessoas continuem trablahando, adotando cuidados adicionais se for o caso. Mas não se justifica suspender o trabalho pois o colete venceu anteontem (quarta-feira, 09) e se sabe que os coletes vão chegar até a próxima quarta-feira (16)", afirmou o secretário.

Sana ainda informou que os coletes à prova de balas já devem estar em trânsito pois a guia de tráfego - documento emitido pelo Ministério da Defesa necessário para o transporte dos objetos - foi emitida na quarta-feira (09), mesmo dia em que vencia o prazo de validade. A empresa que fornece os objetos é de Curitiba, no Paraná.

Validade

O secretário esclareceu que o prazo de validade vencido nos coletes balísticos é referente à placa de proteção instalada no objeto. Supostamente, a partir de cinco anos de uso essa placa não tem mais garantia de proteção contra projétil balístico e perde, portanto, a validade.

Audiência pública discute a Guarda Municipal de Balneário Camboriú-SC


Audiência pública discute a Guarda Municipal
O impacto financeiro inicial será de 0,76% do orçamento do município de Balneário Camboriú

Uma audiência pública a ser realizada na próxima quarta-feira (16), a partir das 18 horas, na Câmara de Vereadores, vai definir a possibilidade de Balneário Camboriú implantar uma Guarda Municipal. O projeto da administração, através da Secretaria Municipal de Segurança e Defesa Social, prevê num primeiro momento o reforço na segurança pública com 60 guardas. A implantação da GM faz parte da reestruturação da Secretaria de Segurança, sendo que a meta da Prefeitura é fazer do município um referencial em segurança pública, assim como é atualmente no setor de turismo e da construção civil.
De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atualmente o município conta com cerca de 102 mil habitantes. A estimativa oficial não deixa dúvidas de que Balneário Camboriú já tem vida própria e sua rotina econômica vai além dos limites da temporada. Mas os números positivos também trouxeram o crescimento da criminalidade. Por isso, a Guarda Municipal é um dos principais projetos em curto prazo que o prefeito Edson Piriquito tem trabalhado. Para ele, a criação de uma Guarda Municipal poderá somar ao trabalho já realizado pelas policias Civil e Militar. O prefeito explica que a GM deverá atuar junto destes poderes integrados, mas também irá ser um mecanismo de preservação do patrimônio público. "A criação da guarda não resolverá totalmente o problema de segurança pública na cidade, o fim da violência é algo muito mais macro que isso, mas com a Guarda Municipal atuando junto das polícias na cidade, teremos um reforço no combate do crime, preservando assim nossa imagem turística, pois quando as pessoas escolhem para onde vão passar as férias, elas vão optar por cidades mais seguras, e é isso que queremos", analisa Piriquito.

Cadastro no Pronasci
Segundo o secretário de Segurança de Balneário Camboriú, Nilson Frederico Probst, o município tem recursos financeiros suficientes para suprir as necessidades da Guarda. Ele revela que a implantação da instituição não vai abalar o orçamento municipal, por isso, não será necessário o remanejamento de verbas, vindas de outros setores públicos.
Nilson, juntamente com o diretor Adélcio Bernardino, do Departamento de Guardas da Secretaria, conheceram nos últimos meses a realidade de algumas Guardas Municipais de Santa Catarina, de São Paulo e do Paraná. Em nenhuma delas, os profissionais observaram abalo orçamentário, de acordo com informações repassadas pelos responsáveis das GMs. Além dos investimentos municipais, foi constatado que as instituições visitadas recebem verbas de projetos enviados à Secretaria Nacional de Segurança Pública, através do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci). "Em Balneário Camboriú não será diferente, seremos cadastrados junto ao programa, para termos acesso a essas verbas", explica o secretário Nilson Probst.
Segundo Nilson, a GM vai gerar impacto financeiro para administração pública, de 0,76% do orçamento municipal, referente ao custo de sua implantação, folha de pagamento dos 60 guardas municipais, e também os oito novos cargos criados na reestruturação da Secretaria. Ao ser empregado um total de 200 guardas, o percentual sobre o orçamento anual subirá para 1,99%.
Um dos questionamentos do Legislativo, segundo o secretário, seria a forma do regime de contratação dos guardas, se estatutário ou celetista. De acordo com Probst, os vereadores, integrantes da comissão encarregada de analisar a implantação da GM na cidade, buscaram informações em municípios onde a instituição foi implantada, concluindo que o regime estatutário seria o mais viável à cidade, e este foi justamente o modelo proposto pelo Executivo no projeto de Balneário Camboriú.
Segundo informações da Assessoria Parlamentar de Articulação Governamental da Prefeitura, o projeto foi encaminhado à Câmara de Vereadores no dia 17 de junho passado. Um mês após esta data, um projeto substitutivo foi encaminhado. O Legislativo analisou e sugeriu algumas alterações. Posteriormente, retornou ao Executivo, que pontuou algumas alterações e retirou algumas cláusulas. Na semana passada o projeto retornou à Câmara.
"Antes mesmo de termos encaminhado o projeto à Câmara, nos reunimos com os vereadores diversas vezes. Em algumas dessas explanações, representantes da sociedade, população e imprensa estiveram presentes. Queremos que a comunidade tenha grande participação na criação da Guarda", confere Nilson.
Atualmente Santa Catarina conta com seis Guardas Municipais, de Florianópolis, São José, Rio do Sul, Tubarão, Laguna e Caçador. Itajaí, Blumenau e Camboriú também já estudam a possibilidade de implantar a GM. No País, cerca de 20% dos municípios já implantaram suas guardas, vindo a melhorar a segurança pública e diminuir os índices de criminalidade.

Curitiba e Foz são bons exemplos
Se em Balneário Camboriú existe um impasse para a criação da Guarda Municipal (GM), pois alguns acreditam que o município não terá condições financeiras de manter a instituição, por outro lado muitas cidades do Brasil aproveitam o amparo do Governo Federal e a matriz curricular criada pelo Ministério da Justiça para a criação específica de GMs e oferecem a sua comunidade mais segurança, colocando nas ruas homens e mulheres formados após 600 horas de curso, com treinamento equiparado ao das polícias estaduais. É o caso de 20% dos municípios brasileiros e de Curitiba e Foz do Iguaçu, ambas no Estado do Paraná, que servem de exemplos para outros municípios que, como Balneário Camboriú, tem dificuldades de ter implantada na cidade a sua Guarda Municipal, complementando o trabalho de policiais militares, civis e ainda dando sua contribuição na assistência social comunitária.
Em Foz do Iguaçu a Guarda Municipal já existe há 15 anos e em Curitiba, há 23. Nos dois municípios há uma aprovação que beira os 100% de satisfação dos moradores. Diferente do que foi cogitado no Legislativo de Balneário Camboriú, de que em Foz os recursos teriam se tornados insuficientes e teria sido necessário tirar dinheiro de outros setores municipais, em nenhuma das duas cidades a Prefeitura teve que transferir recursos de outras secretarias para que a GM fosse mantida, apesar do grande número de servidores em regime estatutário. Em Curitiba são 1.800 GMs, enquanto que em Foz, 507 homens e mulheres, GMs e vigilantes, realizam o trabalho.
O diretor da GM de Foz do Iguaçu, Rudinei Bonifácio de Souza, que é policial militar aposentado, explica que a instituição iniciou sem possuir o SIATE ou SAMU, mas realizava traslados de residências para hospitais, fazia serviços sociais e dava apoio à PM e à Polícia Civil. "Isso fez com que a comunidade criasse um respeito e uma confiança no nosso trabalho. Hoje nós realizamos tudo o que está em nossa competência, desde assistência social, condução aos hospitais e ao Conselho Tutelar, e também realizamos prisões, apreensões de armas, tóxicos, entre outras atribuições para as quais podemos contribuir com a segurança pública municipal", especifica o diretor. Atualmente, a GM de Foz possui projetos no Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) e estão para chegar à cidade recursos no valor de R$ 3.500.000,00 para compra e manutenção de equipamentos.
Além da aprovação da comunidade, promotores, juízes, policiais civis e militares trabalham integrados, tanto que Bonifácio afirma que Foz do Iguaçu não seria mais a mesma cidade, se não tivesse o trabalho da Guarda Municipal.
O serviço é feito por 292 GMs e ainda 215 vigilantes. Os vigias não trabalham armados, ao contrário dos GMs, que passaram por dezenas de horas em sala de aula, para aprender e ter consciência sobre o uso do armamento. "Nossa guarda está adequada ao Estatuto do Desarmamento e usa arma desde a sua criação", garante o diretor. "Nunca houve ocorrência que denegrisse nossos guardas pelo uso do armamento. Pelo contrário, contribuiu para que o atendimento tivesse desfecho positivo", afirma
São 13 automóveis e mais 20 motocicletas, em média, que trabalham diariamente na cidade de Foz, a serviço da instituição. Para se ter uma idéia, a GM de Foz atendeu somente em julho de 2009, 819 ocorrências, e 763 registradas no mesmo mês do ano passado. As ocorrências policiais somaram 125 em julho deste ano, e 133 em julho de 2008. Foram presas 23 pessoas no mesmo período, no ano passado. Em 2009 foram 27. No mês de junho de 2008 foram apreendidos 86,8 quilos de maconha e em junho de 2009, também pela GM, 2.798 quilos da mesma droga. Sem somar as apreensões de crack e cocaína.
O custo anual da GM de Foz é de R$ 12 milhões e todo o investimento aplicado está previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias daquela cidade, inclusive com folha de pagamento e manutenção. Apesar do custo, Bonifácio garante que "nunca houve remanejamento de verba, pois há um percentual da arrecadação municipal destinada à GM pela segurança pública.
Os policiais são aprovados em concurso e passam por uma formação rígida e em tempo integral. Os salários variam entre R$ 1.100,00 e R$ 4.000,00 e também tem plano de carreira. Mas o grande sucesso da GM de Foz é o entrosamento e entendimento da comunidade, e principalmente dos policiais militares e civis com a Guarda Municipal do município.

População aprova
Assim como Foz do Iguaçu, a capital paranaense, Curitiba, também tem grandes índices de criminalidade, por isso, a comunidade entendeu a criação da GM e sabe que ela jamais irá concorrer com a Polícia Civil ou a Militar. Sua atividade é complementar, mas o curso preparatório é requisito indispensável para a formação de seus componentes.
São auxiliados por câmeras de monitoramento, administradas por guardas municipais e policiais militares, que trabalham na mesma sala, de forma conjunta.
Apesar de trabalhar armada, o secretário de Defesa Social, coronel Itamar dos Santos, afirma que nunca houve ocorrência que fizesse a GM repassar o uso das armas. "Nossos guardas não usam armas em todos os locais. Nos colégios, elas não são usadas", explica o secretário. A diferença entre PMs e GMs, analisa, é que os policiais recebem ligações para atender furtos, roubos, arrombamentos. Já no caso dos GMs, o atendimento é eventual. Se a população avista o guarda municipal e solicita seu serviço, até para combater um assalto, o servidor é obrigado a atender o chamado. "Mesmo assim, a comunidade quer que nossa atuação seja ampliada, para se ter uma idéia da aprovação que temos", explica.
A GM de Curitiba foi criada em 1986 e atualmente possui 1.800 homens, que se utilizam de 90 veículos e mais 80 bicicletas. Os salários variam entre R$ 1.500,00 (com todas as gratificações) e R$ 3.000,00 (em plano de carreira), já a folha de pagamento prevista para o ano de 2009 é em torno de R$ 51.000.000 e o custeio da Guarda, segundo o coronel Itamar, é de R$ 6.000.000.
Para o secretário, coronel Itamar, não se pode abrir mão de proteger os bens públicos, a menos que se contrate uma empresa privada. "Nesse caso, com certeza o gasto do município será bem maior", aponta.
A Guarda Municipal de Curitiba recebeu homenagem na Câmara de Vereadores da cidade, em 16 de junho passado. O reconhecimento dos 23 anos de bons serviços prestados na cidade partiu do presidente da Casa, vereador João Cláudio Derosso, em parceria com o vereador João de Suco, ambos do PSDB da capital paranaense.

Fonte: Diário Catarinense

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Campinas (SP) encerra inscrições para 100 vagas de guarda municipal



Campinas (SP) encerra inscrições para 100 vagas de guarda municipal

Cargo exige nível médio de escolaridade.
O salário é de R$ 1.855,65.

Do G1, em São Paulo

Prefeitura de Campinas (SP)
Inscrições

Até 10 de setembro
Salário
R$ 1.855,65
Vagas
100
Taxa de inscrição
R$ 40
Prova
4 de outubro

A Prefeitura de Campinas (SP) encerra nesta quinta-feira (10) as inscrições para 100 vagas de guarda municipal (80 para o sexo masculino e 20 para o sexo feminino). O salário é de R$ 1.855,65. O aprovado recebe ainda auxílio-refeição/alimentação no valor de R$ 428,80 ( veja aqui o edital ).



Confira lista de concursos e oportunidades

O candidato deve ter nível médio completo, carteira de habilitação no mínimo da categoria B, idade entre 18 e 30 anos na data de inscrição e estatura mínima de 1,65m para mulheres e 1,70m para homens.

As inscrições serão recebidas até 10 de setembro, exclusivamente pelo site www.caipimes.com.br.





A taxa de inscrição será de R$ 40,00. Pode pedir isenção da taxa o candidato que comprovar ter doado sangue em três ocasiões nos 18 meses antecedentes à data limite para inscrição no concurso, ou seja, entre março de 2008 e agosto de 2009.

Os candidatos inscritos passarão por prova objetiva, exame antropométrico, teste de aptidão física, avaliação psicológica, exame médico, pesquisa social e curso de formação da Academia da Guarda Municipal. A prova objetiva será aplicada no dia 4 de outubro.

Deputados votam por regras rígidas para compra de uniformes policiais




Deputados votam por regras rígidas para compra de uniformes policiais

As peças de uniforme, distintivos ou insígnias da Polícia Civil, Polícia Federal, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Departamento do Sistema Penitenciário e Guarda Municipal passarão a ser comercializadas apenas no varejo e exclusivamente para os integrantes dos órgãos, mediante identificação.

O profissional deverá apresentar carteira de identidade funcional e documento de autorização de compra expedido pela instituição a que pertence. É o que determina o projeto de lei 950/07, que a Assembleia Legislativa do Rio votará, em segunda discussão, nesta quinta-feira.

Segundo o deputado Jorge Babu, a medida impedirá a compra indiscriminada das peças,e, assim, reduzir os casos de uso por bandidos.

O texto cria um cadastro, na Secretaria de Estado de Segurança Pública, para as pessoas jurídicas que confeccionam, distribuem e comercializem as peças. Após o cadastramento, a secretaria emitirá certificado de autorização, que deverá ficar exposto em lugar visível no estabelecimento comercial e terá validade de dois anos.

O vendedor deverá preencher formulário de identificação do comprador, do qual constará a data da venda, o tipo e a quantidade de peças adquiridas, o nome completo, matrícula ou registro funcional e unidade de lotação. Os formulários serão arquivados pela empresa por um período de cinco anos. A secretaria fiscalizará o cumprimento da regra, que poderá ser punida até com a cassação da licença do estabelecimento.
fonte:Extra-on line

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Policial da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo à paisana impede furto a agencia de banco e detém dois malas





Policial da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo à paisana impede furto a agencia de banco e detém dois malas


Em 05/08/2009, durante sua folga, o GCM SERGIO LOPES DA SILVA, da Superintendencia de Planejamentos da GCM/SP, enquanto passava em frente a uma agência bancária na Vila Carrão, avistou dois indivíduos arrombando caixas eletrônicos. De imediato o GCM Sérgio interviu, e deu vóz de prisão aos assaltantes, que foram conduzidos ao 31º D.P. O local ficou sendo preservado por uma equipe da Polícia Militar, onde ficaram as ferramentas utilizadas pelos assaltantes e os caixas arrombados, enquanto aguardavam a chegada da perícia.

Segurança do Centro Histórico ganha reforço


Segurança do Centro Histórico ganha reforço


Salvador - A Prefeitura do Salvador e o Governo do Estado vão atuar conjuntamente para restabelecer a segurança pública no Centro Histórico da capital baiana, através da integração das ações das polícias Civil (PC) e Militar (PM) e da Guarda Municipal. A decisão foi tomada nesta terça-feira (8), durante reuniões entre os dois poderes na sede do comando da PM, no Quartel dos Aflitos, e na Secretaria de Segurança Pública (SSP), no Centro Administrativo da Bahia (Cab).

“Estamos solicitando uma intervenção e até mesmo um plano extra para dar resposta imediata à comunidade, devolver a paz, prosperidade e geração de renda no Pelourinho, além da retomada da visitação ao local, enquanto centro de lazer”, destacou o vice-prefeito e coordenador das ações de revitalização do Centro Histórico, Edvaldo Brito.

Na avaliação dele, a manhã foi proveitosa porque, do lado do Estado, faz a integração das forças públicas – PM e PC –, e por parte da Prefeitura, resultou em atos práticos para a segurança da área, a fim de restaurar a confiança do baiano na utilização do equipamento urbano e o retorno do turista, que vai encontrar o ambiente requalificado.

A intenção, complementa o superintendente de Segurança Urbana e Prevenção à Violência (Guarda Municipal), coronel Cassivandro da Costa Santos, é propiciar que as pessoas voltem a visitar a área como faziam antigamente, com segurança e à vontade. O subprefeito da região, José Augusto Leal, pontuou que os principais problemas existentes no local são o grande número de dependentes químicos e a ação de traficantes, e que a presença de efetivo militar é decisiva para estabelecer limites na atual desordem social.

E os desdobramentos dessa força tarefa inicial já estão programados para acontecer ainda esta semana: “Há interesse da PM em otimizar os meios disponíveis para incrementar o policiamento na área e as ações dentro dessa realidade apresentada agora a esse comando. E, como fruto dessa reunião, vamos agendar para quarta-feira (9), a primeira atividade de trabalho com o comandante operacional da PM e o superintendente da Guarda Municipal, onde serão discutidas as estratégias para a melhoria do serviço de policiamento das artérias do Pelourinho”, assegurou o comandante geral da PM, coronel Nilton Mascarenhas.

Fonte: Jornal da Midia

terça-feira, 8 de setembro de 2009

GM intervém em briga no Centro e é atropelado.


GM intervém em briga no Centro e é atropelado
Notícia publicada na edição de 08/09/2009 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 5 do caderno A - o conteúdo da edição impressa na internet é atualizado diariamente após as 12h.


Um guarda municipal interveio, sozinho, numa briga no centro da cidade, que envolveu várias pessoas e impediu que um rapaz de 25 anos continuasse sendo agredido no rosto, com um pedaço de madeira. O GM Alexandre Rocha passava pela rua Souza Pereira e ouviu gritos de socorro vindos da rua Padre José Manoel de Oliveira Libório, às 6h30 de ontem.

Havia um grupo de nove pessoas, a maioria brigando. Quatro homens espancavam o funileiro Higor Alexandre Florindo, caído no chão. Assim que o GM se aproximou e viram a viatura, pararam. Rocha mandou todos se virarem e colocarem as mãos numa parede, no que obedeceram. Como eram muitas pessoas e o guarda estava sozinho, chamou reforço de colegas.

A briga, no entanto, recomeçou e os quatro que haviam espancado o funileiro fugiram. Três correram para longe e um entrou num Escort branco estacionado ali perto. Ligou o motor e o GM se colocou à frente, para impedi-lo. Não adiantou, porque o homem acelerou e atropelou Rocha, que rolou sobre o capô e caiu na rua pelo lado esquerdo do carro.

O GM levantou-se e deu ordem de parar. Como o desconhecido não obedeceu, Rocha sacou o revólver e fez dois tiros, acertando um no pneu da frente e outro no traseiro. Mesmo com dois pneus murchos, o homem conseguiu fugir no carro e não foi alcançado. No lugar da briga havia um papelote de cocaína no chão, mas nenhum dos que ficaram assumiu a propriedade da droga.

Foi só então que chegaram reforços da Guarda Municipal e da Polícia Militar. Higor, que continuava caído por causa dos ferimentos, foi socorrido no Hospital Regional. Sofreu lesões na boca, nariz e supercílios. Os quatro que permaneceram, sendo uma mulher, foram identificados e depois liberados.

No histórico do boletim de ocorrência elaborado na delegacia do plantão policial sul não está claro por que motivo o funileiro foi violentamente agredido. Não se sabe se a cocaína encontrada no local pode ter alguma relação com a briga. A Polícia Civil vai investigar a lesão corporal e também as circunstâncias dos disparos feitos pelo GM. A arma dele, um revólver calibre 38, ficou apreendida e irá passar por perícia.

AGMS pede solução

A Associação dos Guardas Municipais de Sorocaba (AGMS) enviou um ofício - que trata do problema de guardas trabalharem sozinhos - para o secretário municipal da Segurança Comunitária, José Milton da Costa. De acordo com o presidente da associação, Charles Celestino da Silva, o ofício foi enviado há cerca de quinze dias, mas até agora não houve resposta.

O fato de guardas trabalharem sozinhos, geralmente indo de um local de trabalho para outro, é motivo constante de reclamações da categoria, diz o presidente da AGMS. Segundo ele, os guardas não concordam, mas têm que acatar determinações. Silva explica que é muito difícil controlar sozinho uma situação, ainda mais quando há várias pessoas, como na briga ocorrida ontem no centro da cidade. O guarda fica muito vulnerável, conforme Silva.

O presidente da associação lembra que os profissionais convivem com situações de risco, e sozinho o trabalho se torna mais perigoso. Ele cita outro caso, há cerca de três meses, de um guarda que fazia a travessia de estudantes perto de uma escola na Vila Assis, foi atropelado por um motociclista e ficou caído por alguns minutos até ser socorrido.

A reportagem tentou contato com o comandante da GM, Carlos Eduardo dos Reis Leal, no final da tarde de ontem, mas não foi possível conversar com ele. Por meio da central da GM, ele deixou recado de que o assunto deveria ser tratado com a Urbes - Trânsito e Transportes, pois o GM que intercedeu na briga trabalha como agente de trânsito. A reportagem também tentou contato com o representante da Urbes que cuida da fiscalização de trânsito, mas não o encontrou.

oncurso abre 25 vagas para Guarda Municipal


Concurso abre 25 vagas para Guarda Municipal

Efetivo da Guarda Municipal caiu praticamente pela metade desde 2004. Hoje, a GM tem apenas 85 policiais na ativa, contra 160 vagas abertas no primeiro concurso. A Secretaria de Administração já está preparando novo processo para ingresso na Guarda.

De acordo com o titular da Administração, Rômulo Figueiredo, inicialmente é discutida a abertura de 25 vagas na corporação. Entretanto, ele salienta que a decisão final ainda depende de dotação orçamentária e balanço financeiro disponível. O secretário explica que a questão será tratada com a Secretaria Municipal de Trânsito.

Quanto ao edital, Rômulo conta que, a partir das recomendações do Tribunal de Contas de Minas Gerais (TCE/MG) para os concursos da Prefeitura e do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos (Ipserv), será formatado um modelo padrão para evitar novos impasses no órgão.

Já o chefe da Guarda Municipal, Júlio César Aguiar, acredita que a procura pelo concurso será grande, porque o último ingresso foi há cinco anos. Questionado se o salário será atrativo, ele afirma que a remuneração ainda será discutida quando a comissão de concurso estiver formada. “Os representantes vão se sentar com o prefeito e a equipe financeira para ponderar o orçamento e ver se o município pode oferecer algo além do previsto na lei”, acrescenta.

Segundo o chefe da GM, a população de Uberaba cresceu desde 2004 e, consequentemente, o serviço dos guardas aumentou. No entanto, ele ainda não possui estimativas de qual seria o efetivo adequado para a realidade atual da cidade. “As escolas municipais estão sem guarda fixo e algumas unidades básicas de saúde também. O número de homens é suficiente apenas para fazer rondas”, conta.

Atualmente, o salário-base do GM é R$ 465 mais o tíquete-alimentação de R$ 210. Há também o bônus de produtividade, que pode chegar, no máximo, a R$ 250. O primeiro concurso para guardas municipais exigia apenas o Ensino Médio incompleto. Não há informação sobre o grau de escolaridade que será exigido na próxima seleção.

domingo, 6 de setembro de 2009

SERIE DE ROUBOS ESTÁ INTRIGANDO A POPULAÇÃO E OS ORGÃOS DE SEGURANÇA EM JARDIM DO SERIDÓ.


Uma Série de roubos a lojas e furtos de motocicletas está acontecendo em Jardim do Seridó,desde o ultimo dia 31 de agosto de 2009,já se registrou 1 assalto a mão armada(com uso de faca),roubos a 2 lojas de celulares,uma de grife de perfumes,e 1 Moto furtada na feira livre , ontem ,no sábado 05 de agosto,tudo isso vem causando desarmonia na população , que se sente insegura, e os orgãos de segurança ,surpresos com a ousadia dos meliantes.A Guarda Municipal está contribuindo e cooperando com a Segurança Pública Urbana e realizando , além de seu trabalho de prevenção , uma intensificação das suas rondas noturnas, sobre Motos e a pé , com duplas de Guardas, e indo fora de suas atribuições , mas o momento obriga, realizando um trabalho silencioso de inteligência junto a população,tudo em parceria com a Policia Militar e Civil.O trabalho está tomando certos contornos que levam a crer que , mesmo com muito trabalho,poderá se lograr êxito , que será importantíssimo para a população que se encontra meio que aflita com toda essa questão.

Ladrões de escolas são presos pela Guarda Municipal de Curitiba.


Ladrões de escolas são presos pela Guarda Municipal
Quatro adolescentes foram flagrados roubando equipamentos em escolas municipais

A Guarda Municipal de Curitiba encaminhou nesta sexta-feira (4) para a Delegacia do Adolescente quatro menores flagrados roubando equipamentos em escolas municipais. Um adulto que participava de um dos roubos também foi detido e mandado para a 11ª Delegacia de Polícia, na Cidade Industrial de Curitiba.

Os flagrantes aconteceram de madrugada, em locais diferentes. O primeiro, aconteceu na Escola Municipal Moradias do Ribeirão, na CIC, onde um adolescente e Wagner Mariano Gaboski, 32 anos, roubavam equipamentos de informática da Escola Municipal Moradias do Ribeirão.

No Pinheirinho, onde aconteceu o outro flagrante, três adolescentes tentavam roubar um computador do Centro de Educação Integral Francisco Frischmann.

Guarda Municipal prende homem suspeito em Dourados


Guarda Municipal prende homem suspeito em Dourados

Guardas Municipais em motocicletas perseguiram um homem a pé que saiu correndo e tiveram trabalho para imobilizá-lo, sendo obrigados até mesmo a entrar em luta corporal com o suspeito.

A prisão aconteceu no Jardim Água Boa ontem à tarde, pouco antes das 17h.

Ainda não se tem mais detalhes sobre o caso, mas o homem foi encaminhado para o 1º DP e ele estava fugindo dos guardas quando foi dominado.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

GUARDA MUNICIPAL PERSEGUE VANDALOS.


Ontem , 03/09/2009,a Guarda Municipal entrou em perseguição a vandalos que depredavam o Património Público e religioso da nossa cidade.Era cerca de 23:00 hrs. quando um GM foi avisado por uma popular que 04 jovens depredavam as escadarias que dá acesso ao Santuário do Sagrado Coração de Jesus,importante ponto turístico local,pedido o apoio a outro agente municipal que estava fazendo a Ronda Ostensiva ,iniciram uma perseguição a estes infratores que, a pé , e em desabalada carreira , adentraram o mato nas proximidades do Rio Cobra, de onde conseguiram se evadir , graças a escuridão reinante e a vegetação.Foi feito o Registro de ocorrência na GMJS e divulgado na midia para que se tenha , se alguém os viu , uma informação que possa levar aos mesmos.O Local do ocorrido está sendo monitorado, pois atos desta espécie vem se repetindo com uma frequência que está chamando a atenção.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

DESFILE CIVICO DE 1º DE SETEMBRO EM JARDIM DO SERIDÓ.







A Guarda Municipal de Jardim do Seridó participou do desfile de emancipação politica de Jardim do seridó no dia 1º de setembro de 2009,foi mandado 05 GMs sobre Motocicletas para o desfile, onde fizeram o seu papel e se destacaram no evento.Todo a comemoração foi uma das mais bonitas dos últimos anos na cidade , sendo comentado por todos.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Prefeitura abre licitação para comprar bafômetro para GM


Prefeitura abre licitação para comprar bafômetro para GM

Com o objetivo de garantir maior segurança à Guarda Municipal de Uberaba (GM-Uberaba), o diretor da GM relatou que através de um convênio com o governo federal foi feita licitação para aquisição de coletes de proteção balística e três etilômetros (bafômetros).
De acordo com o diretor da GM, Júlio César Aguiar, a atuação dos efetivos da GM abrange grande área na cidade, devido à ação estratégica e equipamentos de comunicação via rádio. "O número de ocorrências atendidas pela GM teve um grande crescimento devido à atuação de todos os GMs na instituição. Por isso, é de suma importância o recebimento dos coletes e o etilômetro. O recebimento dos coletes e os etilômetros fazem parte de uma conquista que a equipe aguarda há anos", salienta.
"Teremos mais segurança na hora de averiguar os chamados e, consequentemente, contaremos com maior estrutura para o serviço de proteção ao patrimônio público", observou Júlio.
Aguiar pondera que atualmente a GM possui um efetivo de 68 integrantes, sendo 19 mulheres que atuam no serviço de patrulhamento e conta com uma frota de 14 motos, 11 viaturas e uma van, divididas em Operacional, Trânsito, Policiamento Escolar e Patrulhamento. "O número de ocorrências atendidas pela GM cresceu em torno de 38% de 2008 até o momento. "Esse crescimento é decorrente da atuação da guarda nos últimos anos. Se antes os GMs ficavam fixos cuidando dos prédios e equipamentos públicos, agora a ação é estratégica, mais ágil e móvel, o que expandiu sua área de abrangência", ressalta.

Chefe de Policiamento - Segundo o chefe de Policiamento da GM, Marco Túlio Gianvecchio, existe a necessidade de o efetivo da guarda usar o colete à prova de balas. "Em alguns casos, a população pede ajuda à Guarda Civil Municipal, devido à grande demanda de ocorrência que acaba sobrecarregando a Polícia. E com os etilômetros a GM pode atuar com mais rigor em operações. Atualmente, alguns guardas municipais compraram dez coletes à prova de balas e a instituição possui cerca de dois etilômetros", explica.

Valor - Conforme publicado no Porta-Voz, o valor estimado da licitação para aquisição de três etilômetros é de R$ 22.500,00, e os coletes de proteção balística têm o valor estimado em R$ 21.623,33.

Sandro Neves-Jornal de Uberaba

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Polícia encontra cemitério clandestino de milícia no Rio

Polícia encontra cemitério clandestino de milícia no Rio
01 de setembro de 2009 • 12h58 •


Agentes da Delegacia de Homicídios (DH-Oeste) encontraram, nesta terça-feira, um cemitério clandestino da milícia nos fundos de uma fábrica desativada, na favela do Barbante, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro. A ação contou com o auxílio da Companhia de Cães da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e da Guarda Municipal.

Na fábrica desativada, repleta de mato, dois corpos inteiros foram encontrados, além de um crânio. As investigações indicam que a milícia que atua na região usava o terreno para esconder os corpos de suas vítimas. Informações apontam para que os corpos encontrados até o momento sejam todos de uma mesma família, vítima de uma chacina na comunidade em junho deste ano.

Caminhoneiros são detidos após confusão com guardas municipais



Caminhoneiros são detidos após confusão com guardas municipais

Segundo a polícia, tumulto foi na Avenida Rio Branco, no Centro do Rio.
Guardas afirmaram que foram xingados pelos suspeitos.

Do G1, no Rio, com informações da TV Globo


Pelo menos três caminhoneiros foram detidos na noite desta segunda-feira (31) suspeitos de agredir verbalmente um grupo de guardas municipais no Centro do Rio de Janeiro. Segundo a polícia, os guardas passavam de ônibus pela a Avenida Rio Branco, quando teriam sido ofendidos pelos suspeitos.




Os guardas teriam saltado do veículo e deram voz de prisão aos três caminhoneiros, que teriam resistido. De acordo com agentes da 1ª DP (Praça Mauá), onde o caso foi registrado, os guardas afirmaram que foram xingados pelos suspeitos. Em seguida, o trio foi detido e levado para a delegacia.

Ainda segundo a polícia, em depoimento, os caminhoneiros negaram as acusações. Eles foram autuados por desacato de autoridade, e liberados em seguida.



A Guarda Municipal confirmou, por meio de sua assessoria, a versão dos agentes e disse que eles agiram de acordo com a lei.

Leia mais notícias do Rio de Janeiro

Guarda municipal salva casal de turistas de afogamento na Barra, Rio.

Thiago Lourenço, de 32 anos, é do Grupamento Especial de Trânsito e correu para o mar após ser abordado por um banhista sobre a situação....